Dicas e Recursos de Aprendizagem

Sugestões para participar das videoaulas

1. Separe frames/prinstscreens de momentos que despertaram mais atenção, curiosidade, divergência.

2. Utilize um caderno ou um app para fazer anotações, desenhos, esquemas, diagramas.

3. Assista as videoaulas no seu tempo, faça replays em partes confusas, encontre seu método de aproveitar o conteúdo e identificar o que lhe interessa ou o deixa com dúvidas.

4. Caso a videoaula cause instigação e você comece uma busca própria de referências ou inspirações, sinta-se estimulado a compartilhar na sala de aula síncrona.

Identificando interesses de pesquisa

basbaum.jpg

Ricardo Basbaum. Livro G. x eu off-set, 1998

Disponível em: http://revistacarbono.com/artigos/02carbono-entrevista-ricardo-basbaum/

Pesquisas e práticas acadêmicas com Arte devem buscar tensionar e ampliar o escopo de performatividades possíveis de estudantes e pesquisadorxs. Se você tem preconceitos com a academia, mas ainda assim escolheu estar em uma universidade, aproveite bem o seu tempo dentro: tente fazer algo diferente do que lhe parece engessado, experimente e desafie com qualidade.

 

1. Faça mapas, colagens, esquemas ou diagramas misturando aspectos da sua experiência de vida, referências de artistas, filmes, músicas, cultura popular, expressões artísticas, referências bibliográficas, situações históricas que lhe atraem.

2. Diante do resultado dessa mistura, desenhe linhas de conexão.

3. Sintetize, em frases curtas, possíveis entrecruzamentos.

4. Pense em lugares que você poderia visitar para se relacionar com as frases que resultaram. Busque pensar sobre essas frases curtas enquanto observa, respira e deixa tais lugares se fazerem sentir pelo seu pensamento.

5. Tire fotos, escreva devaneios, converse, faça jam sessions de vídeos do Youtube.

6. Evite pensar sobre suas pesquisas apenas sentado: pense fazendo escaladas, nadando, caminhando, dançando.

1. Comece a ler pelo índice, pelos resumos, focando em parágrafos introdutórios e conclusivos do capítulo ou da sessão do artigo.

 

2. Faça lista de palavras chave, glossários e utilize tabelas para o fichamento, destacando citações, página e fazendo comentários.

 

3. Caso o texto seja muito difícil, encare ele mesmo assim, fichando e tentando decifrar o que for possível.

 

4. Identifique o que você entendeu do texto, tire um tempo de distância e retorne para as suas anotações e para o texto, caso lhe pareça importante entender melhor.

 

5. Ao retornar para o texto, dê mais atenção para as partes difíceis.

 

6. Busque fontes que discutem temas parecidos ou o próprio autor.

 

7. Procure pelas motivações, as escolhas, as alegações e os apontamentos futuros que o autor colocou.

Dicas de leitura e fichamento

 

7. Crie um banco de dados, uma pasta, seja no seu computador, em algum site de armazenagem ou smartphone. Arquive organizadamente artigos que lhe chamam atenção, obras de arte, eventos históricos, etc.

8. Utilize as dicas abaixo "Onde procurar fontes?" para descobrir que outros artistas e pesquisadores já estão trabalhando com algo próximo dos seus interesses.

9. Converse com os seus mais velhos: mestres e professores. Experiência de vida é base para o conhecimento ser trocado entre gerações. No caso desses seres mais velhos serem intransigentes, arrogantes arbitrários, jogue-os espertamente diante da demagogia e das contradições epistemológicas.

10. Vá engrossando o caldo ou adubando seu corpomente, alguma hora vai brotar algo particular.

fred forest.jpg

Meios de pesquisa

em Arte

Tanto na Arte quanto na Comunicação (mas também na Arquitetura, Antropologia e Geografia) existem modos de pesquisa que rompem com a tradição acadêmica que pensa o pesquisador como um intelectual isolado que meramente escreve textos depois de digerir dezenas de livros.

Caso tenha curiosidade, pode conferir os seguintes textos para começar:

Fred Forest ou a destruição dos pontos de vista estabelecidos, de Vilém Flusser. Disponível em:

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-53202009000100012

A arte do movimento na prática como pesquisa, de Ciane Fernandes, Cláudio Marcelo Carneiro Leão Lacerda, Cibele Sastre, Melina Scialom.

Disponível em:

https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/abrace/article/view/3913

Aplicativos que você pode experimentar:

1. Voice Aloud Reader (leitura em áuio de livros)

2. Google Jamboard (organizar ideias, diagramas)

3. Devonthink (organizar anotações)

4. Scrivener (organizar anotações)

5. Cabeceira (organizar leituras)

6. Bookly (organizar leituras)

7. MindMaple ("Mapas mentais")

Onde procurar fontes?

 

1. Bibliotecas

2. Duck Duck Go

3. Youtube (Procurar palestras e aulas online)

4. Google Scholar (Procurar artigos)

5. Converse com seus professores e outras estudantes.

Participe dos exercícios propostos por quem lhe ensina!

Ensine a si mesmo propondo exercícios para si mesmo =)