Carvão Para Seus Olhos Tocarem / Coal For Your Eyes To Touch

A performance se desdobra em ações e múltiplas projeções audiovisuais relacionadas ao meu engajamento como artista-pesquisador (PPG-ARTES UFC) em uma dinâmica de materialidades, sensorialidades, pessoas e lugares caracterizados por uma multiplicidade de eventos de deslocamento, com um interesse e direcionamento específico à materialidade do carvão mineral com a qual passei a me relacionar conforme fui me envolvendo com a presença de tal matéria no Pecém, anteriormente um distrito de pescadores e casas de veraneio à 50km de Fortaleza, no Ceará, e atualmente um complexo industrial, palco importante da política de desenvolvimento econômico do estado no começo do século XXI. O carvão mineral do Pecém me colocou em contato com a paisagem do lugar, com pessoas que vivem na região e que compartilharam comoventes dramas, narrativas de deslocamento e de poluição ambiental para o projeto, consistindo a performance em um modo de compartilhamento desse contato. Também me levou ao estado de La Guajira, na Colômbia, onde o carvão que chega ao Pecém é extraído, afetando as comunidades Wayuu, dentre outras.
Coal For Your Eyes to Touch (2016)

During 2016/2017, i`ve been working on the project Coal For Your Eyes To Touch as part of my M.A. performance-based research on the relations between displacement, multi-channel videoinstallations, performance and ecology. In this process i`ve been working with a displaced community in Pecém, state of Ceara in northeast Brazil.  The district has been passing through intense transformations during the last decade after an industrial complex was installed there where originally only simple fisherman lived and worked. Around five years ago a Coal Conveyor Belt was installed there, imposing its machinic presence through 13km of the landscape and taking coal coming from La Guajira, in the Colombian caribbean, to a recently installed steel mill.

The result of the project is a multi-channel videoinstallative performance exposing the coal and images of it in its place of extraction in Colombia and in the place where it ends up in Brazil, creating an interaction between affected communities.